0

Meu Carrinho

Últimas

Notícias

iHeartMedia anuncia expansão de sua plataforma de podcasts para mais cinco idiomas, incluindo o português

10.12.2019

O tudoradio.com tem noticiado com frequência o avanço dos grandes grupos de rádio dos Estados Unidos na produção e distribuição de podcasts. De olho em um mercado milionário, iHeartMedia e Entercom não tem medido esforços para ampliar a sua audiência nesse formato de mídia. E agora, a já líder em podcast nos Estados Unidos irá além: "Stuff You Should Know", ou seja, "Coisas que você deveria saber", terá produção em mais cinco idiomas, além do original em inglês. E a lingua portuguesa está na lista.

Os números do podcast impressionam e foram destaque em uma matéria do The New York Times, que classificou a iHeartMedia como "gigante de rádio" (pelos números do grupo, essa afirmação não é exagerada). "Três vezes por semana, milhões de pessoas que desejam explicações detalhadas sobre fusos horários, deepfakes, adoçantes artificiais e outras trivialidades ouvem os últimos episódios do podcast 'Stuff You Should Know'", destaca o jornal.

Na quarta-feira (7) da semana passada, a iHeartMedia anunciou que o podcast contará com mais cinco idiomas a partir de 2020. Serão eles: espanhol, hindi, português, francês e alemão.

"O cortejo do público internacional é uma evidência de que o negócio de podcasts em expansão vê um potencial de crescimento além dos países de língua inglesa quando as grandes empresas de mídia adotaram completamente um meio que já foi a província de anfitriões independentes trabalhando em porões e garagens", afirma reportagem do The New York Times.

Conforme destacado anteriormente pelo tudoradio.com, a iHeartMedia fez um investimento pesado para tornar a sua plataforma de rádio on-line (o aplicativo iHeartRadio) numa fonte líder em distribuição e geração de podcasts. Em 2018, o grupo adquiriu a Stuff Media por US$55 milhões, estúdio que produz justamente o podcast Stuff You Should Know, entre outros programas do gênero. Nesta semana, a Entercom também entrou de cabeça na aquisição de produtoras de podcast, para fomentar o conteúdo na plataforma Radio.com.

"Percebemos que o comportamento desse consumidor era o tipo de comportamento que vemos no rádio", disse Robert W. Pittman, CEO da iHeartMedia em uma entrevista. "É companheirismo; é a voz humana; alguém está me fazendo companhia. Pensamos nos podcasts como uma forma de ampliarmos esse relacionamento de companhia", disse o executivo do grupo que controla cerca de 850 rádios nos Estados Unidos.

Os podcasts geraram US$ 479 milhões em publicidade nos Estados Unidos no ano passado, segundo estimativas do Interactive Advertising Bureau, que previa que o mercado cresceria para pouco mais de US $ 1 bilhão até 2021 conforme reportagem do The New York Times.

Restrita aos países Canadá, México, Austrália e Nova Zelândia, onde o aplicativo iHeartRadio está disponível para os usuários, o investimento da iHeartMedia em atuar internacionalmente responde a movimentações realizadas por outros concorrentes, como o Spotify (que também tem adquirido produtoras de Podcast em todo o planeta) e a novidade Luminary, plataforma nova nos Estados Unidos que surgiu com um aporte de US$100 milhões de financiamento, na tentativa de ser "o Netflix de podcasts".

Segundo o The New York Times, os ouvintes dos Estados Unidos ajudaram a criar o ‘boom’ do podcast, mas o segmento está se expandindo rapidamente em todo o mundo. Mais da metade da audiência de podcast do Spotify está fora dos Estados Unidos, disse a empresa de streaming. No mês passado, por exemplo, duas empresas de podcast, Stitcher e Wondery, anunciaram uma parceria para captar mais publicidade na Grã-Bretanha.

Além de uma resposta à novos e atuais concorrentes, o plano de tradução que o iHeartMedia criou para seus podcasts é uma aposta substancial no crescimento do meio no exterior. Pittman, afirmou ao jornal que viu a mudança da iHeartMedia para o podcasting "como uma medida necessária para evitar a interrupção de uma nova tecnologia". Ele observou que "o negócio de televisão demorou a se adaptar às mudanças introduzidas pela ascensão do setor de telecomunicações décadas atrás e, mais recentemente, pela ascensão do modelo sob demanda lançado pela Netflix e outras empresas de streaming", segundo a reportagem.

Observando o trabalho e o avanço do Podcast, Pittman, ele percebeu: "Se isso é algo que o consumidor espera de nós - parece conosco - então é algo que deveríamos estar fazendo também", afirma o executivo.

Fonte: Tudoradio

Leia

Também

Transamérica já opera com novo formato na Bahia

10.12.2019

APCA divulga vencedores do Prêmio APCA 2019 em São Paulo

10.12.2019

Rádio Itatiaia é eleita Veículo do Ano na categ...

10.12.2019


Compartilhar